Estação Antártica é destaque no jornal The New York Times

Estação Antártica é destaque no jornal The New York Times

A Estação Antártica Comandante Ferraz, que deve ser inaugurada ainda neste mês, foi tema de reportagem do jornal norte-americano The New York Times, no dia 06 de janeiro. Com o título “The Coolest Architecture on Earth Is in Antarctica” (Em tradução literal: “a Arquitetura mais legal do mundo está na Antártica”), a matéria explora construções cujo desenvolvimento envolveram não somente engenheiros, mas arquitetos de design que buscaram trazer, além da estética, eficiência operacional, durabilidade e melhorias para os projetos.

 

Reportagem do jornal The New York Times sobre a Estação Comandante Ferraz.

 

A nova base de pesquisa da Marinha do Brasil, que substitui uma instalação perdida por incêndio em 2012, possui dois edifícios baixos, projetados pelo Estudio 41 (uma empresa de arquitetura brasileira), uma empresa brasileira de arquitetura, abrigam laboratórios, suporte operacional e alojamentos – e pode ser facilmente confundida com um museu de arte ou um hotel boutique.

A estrutura se encontra em condições nas quais, segundo Emerson Vidigal, diretor da empresa, o Brasil, por ser um país tropical, não estava acostumado. Essas “condições” incluem temperaturas que caem abaixo de 60 graus Fahrenheit negativos e ventos que atingem 160 quilômetros por hora.

Após o Tratado da Antártica, em 1955, que dedicou o país à pesquisa, nota-se o crescimento de cientistas no local e, com isso, o surgimento de necessidades mais complexas. “Como arquitetos, estamos preocupados com o conforto humano, por isso nos propusemos a criar um tipo de atmosfera que promova o bem-estar”, disse Vidigal.

Estação Comandante Ferraz está localizada na Ilha de Rei George, na Península Keller, na Antártica. Foto: Estúdio 41

 

A nova base Comandante Ferraz também foi construída com objetivo de reduzir ao máximo a agressão ao meio ambiente e por isso 30% da energia consumida no centro de pesquisa vem de fontes renováveis produzidas no local. Atrás da estação fica uma usina eólica que aproveita os fortes ventos antárticos.

 

Estação Comandante Ferraz, base de pesquisa da Marinha do Brasil na Antártica. Foto: Estúdio 41

 

Outro destaque do projeto foi a utilização da tecnologia de Modelagem da Informação da Construção (BIM, na sigla em inglês) na elaboração do projeto completo, em parceria com a equipe do escritório português Afaconsult, do engenheiro civil Rui Furtado. Segundo Emerson, o BIM serviu como ferramenta de ligação entre os arquitetos e os engenheiros do projeto, conciliando diferentes visões técnicas sobre um mesmo objeto.

 

Com informações de The New York Times e CAU/BR

 

 



Artigos relacionados

Li Bo Bardi: Habitat

Está em cartaz a mostra “Lina Bo Bardi: Habitat”, que aborda a vida, a obra e o legado da arquiteta responsável pelo prédio do Museu de Arte de São Paulo. A exposição, que contempla mais de 230 itens, é realizada

Aterro do Flamengo

O chamado Aterro do Flamengo, que ocupa a orla da baía de Guanabara – entre o Aeroporto Santos Dumont e a enseada de Botafogo datam da década de 1950 (o parque foi projetado entre 1954 a 1959), mas suas obras só começaram em 1961, no governo de Carlos Lacerda.

Time Space Existence

Durante a 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza, que será inaugurada no sábado, 26 de maio e ocorrerá até o domingo, 25 de novembro de 2018, o Centro Cultural Europeu vai apresentar o Time Space Existence, no Palazzo Mora, Palazzo

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta