Governo do DF ignora veto do Iphan e mantém projeto do viaduto

Instituto afirma que proposta do Executivo fere tombamento de Brasília; Governo defende que alteração é para garantir a segurança

O governo do Distrito Federal garantiu que pretende manter o projeto de revitalização do viaduto da Galeria dos Estados, mesmo sem a aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O órgão barrou a proposta do GDF, argumentando que ela fere o tombamento de Brasília ao alterar a arquitetura original.

Segundo o secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, a expectativa é de fazer negociações com o Iphan e que um consenso seja acertado. “Nós respeitamos o instituto, porém tivemos que alterar o projeto original do viaduto para dar mais segurança para a obra”, afirmou Sampaio.

A discussão entre Iphan e governo se deu por causa na mudança em relação ao pilares que sustentavam do viaduto. O GDF afirma que teve que alargar os pilares para dar um maior reforço na sustentação. “Hoje aquele viaduto já não tem mais a usabilidade de quando ele foi concebido. O fluxo de veículos é maior. Lá passa o BRT, que é um ônibus mais pesado, e por isso, tivemos que mudar”, defendeu Sampaio.

Por outro lado, o Iphan afirma que a modificação fere o projeto arquitetônico da capital e que isso iria interferir no tombamento de Brasília. “Não estamos em embate com o Iphan, mas queremos esclarecer que o lado da segurança deve ser prioridade”, explicou o secretário.

De acordo com Sérgio Sampaio, a expectativa é de que as negociações com o Iphan possam ser concluídas ainda nesta semana. Uma nova reunião está marcada hoje. A estimativa, de acordo com o GDF, é de que, a partir da licitação, a reconstrução do viaduto fique pronta no prazo de 4 a 5 meses. No entanto, Sampaio ponderou que, caso as negociações não avancem, a obra deve atrasar.

 

Via Destak Jornal



Artigos relacionados

Conjunto Habitacional do Pedregulho

O conjunto chama atenção na paisagem do bairro de São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro. Foi criado originalmente para ser moradia dos funcionários do Distrito Federal, antigo estado da Guanabara.

Carta aberta do IAB sobre a perda do Museu Nacional

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), cumprindo sua missão de contribuir para o desenvolvimento técnico-científico e sociocultural do país e para a preservação do patrimônio cultural nacional, lamenta profundamente pela perda irreparável do Museu Nacional, instituição central da cultura

Infinito Vão: 90 Anos de Arquitetura Brasileira

Exposição “Infinito Vão: 90 Anos de Arquitetura Brasileira” chega ao Brasil em abril desse ano. Idealizada pela Casa de Arquitectura – Centro Português de Arquitectura em 2018, a mostra – uma das maiores dedicadas à arquitetura brasileira -, tem curadoria

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta