Índio da Costa: a culpa é dos arquitetos

Índio da Costa: a culpa é dos arquitetos

 

Para Índio da Costa, a arquitetura é melhor definida não por um arquiteto, mas por um filósofo, o alemão Arthur Schopenhauer diz que a “arquitetura é música congelada”. Além disso há uma parcela de culpa dos arquitetos no processo que afastou a arquitetura da população após o modernismo, porém, “isso pode ser recuperado”, afirma.

O arquiteto Índio da Costa foi entrevistado por Paulo Markun para o Portal Arquitetura e Urbanismo para Todos, do CAU/BR.



Artigos relacionados

Sérgio Parada: arquitetura dos anos 50 não atingia a todos

O arquiteto Sérgio Parada, sócio do escritório Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados reconhece a importância da arquitetura moderna que marcou os anos 50 do século passado, mas alerta: ela não alcançava toda a sociedade. Parada atua em  Brasília, onde concedeu entrevista

Alvaro Puntoni e a Arquitetura do Vazio

Alvaro Puntoni, arquiteto pela FAU-USP, nasceu em São Paulo, em 1965. Leciona na mesma instituição onde se formou, na Escola da Cidade e na FAU-Mackenzie, além de sócio do escritório GrupoSP. Projetou a nova sede do SEBRAE em Brasília e o Anexo do

Produção arquitetônica nas grandes cidades, por Marco Antonio Borsoi

Para o portal Arquitetura e Urbanismo Para Todos do CAU/BR, Paulo Markun entrevistou o arquiteto Marco Antonio Borsoi, ex-presidente do IAB – PE. Carioca de nascimento, Borsoi atua em Pernambuco e vive em Recife. Temas: 00:00 O que é arquitetura? 01:09 O

2 comentários

Escreva um comentário
  1. Lisiane Lima
    Lisiane Lima 13 julho, 2014, 11:41

    Muito boas estas discussões!
    Só engrandecem nossa profissão!

    Responda este comentário
  2. Marilda Chebabi
    Marilda Chebabi 13 julho, 2014, 15:02

    Verifico nova fase áurea para a arquitetura. Trabalhar sobre a sustentabilidade e reciclagem. Com a grande áre ensolarada brasileira, urgem projetos baratos para atransformação da energia solar em eletricidade, urge a criação de sistemas de captação da água de chuva em reservatórios, oreuso e purificação da água de pias, chuveiros, de lavagem de roupas, a invenção de pequenas usinas eólicas para casas ou prédios comerciais ou de apartamentos. O lixo organico para compostagem… Enfim, há muito campo para a criatividade.

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: