Índio da Costa: a culpa é dos arquitetos

Índio da Costa: a culpa é dos arquitetos

 

Para Índio da Costa, a arquitetura é melhor definida não por um arquiteto, mas por um filósofo, o alemão Arthur Schopenhauer diz que a “arquitetura é música congelada”. Além disso há uma parcela de culpa dos arquitetos no processo que afastou a arquitetura da população após o modernismo, porém, “isso pode ser recuperado”, afirma.

O arquiteto Índio da Costa foi entrevistado por Paulo Markun para o Portal Arquitetura e Urbanismo para Todos, do CAU/BR.



Artigos relacionados

Entrevista: Clóvis Ilgenfritz, pioneiro na Arquitetura de Habitação Social no Brasil

Clóvis Ilgenfritz da Silva é arquiteto e urbanista nascido em Ijuí, uma das mais populosas cidades da região noroeste do Rio Grande do Sul. Formado em 1965 pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Clóvis dedicou sua vida

A fase áurea da arquitetura, por Luciano Margotto

Para o portal Arquitetura e Urbanismo Para Todos do CAU/BR, Paulo Markun entrevistou o arquiteto Luciano Margotto, professor da Escola da Cidade e sócio do escritório República Arquitetos. Para ele, a arquitetura em sua época áurea, era elitizada. Houve um aumento do número de

O que é arquitetura, segundo Luciano Margotto

O arquiteto Luciano Margotto, professor da Escola da Cidade e sócio do escritório República Arquitetos adota o conceito desenvolvido por Lúcio Costa. Arquitetura é construção com intenção.

2 comentários

Escreva um comentário
  1. Lisiane Lima
    Lisiane Lima 13 julho, 2014, 11:41

    Muito boas estas discussões!
    Só engrandecem nossa profissão!

    Responda este comentário
  2. Marilda Chebabi
    Marilda Chebabi 13 julho, 2014, 15:02

    Verifico nova fase áurea para a arquitetura. Trabalhar sobre a sustentabilidade e reciclagem. Com a grande áre ensolarada brasileira, urgem projetos baratos para atransformação da energia solar em eletricidade, urge a criação de sistemas de captação da água de chuva em reservatórios, oreuso e purificação da água de pias, chuveiros, de lavagem de roupas, a invenção de pequenas usinas eólicas para casas ou prédios comerciais ou de apartamentos. O lixo organico para compostagem… Enfim, há muito campo para a criatividade.

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta para Marilda Chebabi Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: