Instituto Inhotim reabre neste sábado

Após duas semanas da tragédia em Brumadinho, o Instituto Inhotim volta a abrir suas portas nesse sábado (09), com entrada gratuita. O museu ficou fechado devido ao rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Minas Gerais.

O Instituto, que possui um dos principais acervos de arte contemporânea do país, precisou ser evacuado às pressas naquele 25 de janeiro. Desde então, segue de portas fechadas. A tragédia provocou impactos imediatos no local, visto que cerca de 600 funcionários empregados moram na região.

Os funcionários voltaram a trabalhar na quarta-feira (6), com uma programação interna voltada para o acolhimento e bem-estar, com atividades como ioga, meditação e rodas de conversa.

Em nota, o Inhotim avalia seu papel como uma instituição referência na região, que tem a capacidade de ajudar os afetados na tragédia. Confira abaixo parte da publicação original, disponibilizada no site do museu.

“Entendendo que o desastre deixará marcas profundas e duradouras, o Inhotim está ciente que terá um papel crucial na recuperação de uma cidade abalada nos próximos anos. Cultura, arte, meio ambiente e educação, os grandes pilares do Instituto, são fundamentais para o desenvolvimento humano e da sociedade e continuarão sendo ponto de partida para a definição de ações futuras.

O Instituto compartilha do luto e manifesta solidariedade a todas as pessoas direta e indiretamente afetadas pela tragédia. Reafirma, ainda, seu compromisso de possibilitar o acesso a seus relevantes acervos de arte contemporânea e botânica. A data de reabertura será comunicada assim que o Instituto avaliar o momento propício para abrir as portas novamente aos visitantes.”

 

Fonte: Inhotim

 



Artigos relacionados

Hidroanel de São Paulo, um outro rumo para a cidade

O projeto do Hidroanel de São Paulo, previsto para 2040, pode mudar radicalmente a dinâmica da cidade e a relação dos cidadãos com os rios.

Estudantes brasileiros vencem Prêmio global da Schindler

A premiação, que aconteceu no dia 25 de abril, no Monte Líbano, em São Paulo, teve como tema soluções de arquitetura e design urbano para a área do Ceagesp, de 700 mil metros quadrados. A equipe vencedora, que recebeu um

Arquiteturas: Mercado Central de Belo Horizonte

Como equilibrar a preservação daa tradição e ao mesmo tempo sobreviver à concorrência imposta pelo tempo?

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta