Prefeitura de São Paulo quer desconto de IPTU para imóveis tombados

A Prefeitura de São Paulo voltou a debater a isenção de cobrança e o desconto do Imposto Predial e Territorial Urbano para imóveis tombados. A proposta prevê a isenção do IPTU apenas para bens tombados que se localizam na região central da cidade de São Paulo, dentro de um perímetro que ainda está sendo definido, e não contemplará os que estão sujeito a restrições, como os localizados em bairros preservados – por exemplo Jardins e Pacaembu.

Nas demais regiões da capital paulista haverá um desconto no imposto que deverá abarcar aproximadamente 60% de todos os imóveis tombados, que atualmente totalizam mais de 3 mil edificações. Para ser contemplado, o proprietário deverá comprovar anualmente que o bem está em boas condições, isto é, imóveis que precisam ainda passar por recuperação não se beneficiarão com a nova legislação.

“É uma medida que entendemos justa. E uma forma de iniciar uma política pública que olhe não apenas para o tombamento, mas para a preservação e para o restauro, que em geral são relegados a segundo plano”, diz o secretário de Cultura, André Sturm.

Apoiada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a medida já estava em pauta quando Nadia Somekh foi presidente do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) e diretora do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH), entre 2013 e 2016.

“É um reconhecimento mínimo do poder público. A conservação e a manutenção requerem muitos recursos de restauro e conservação”, afirma a arquiteta. Entretanto, o custo estimado na época de R$ 80 milhões impediu o seguimento da proposta.

 

Via Estadão

 



Artigos relacionados

Gasto em Infraestrutura cai quase pela metade

O Brasil teve seu pior desempenho em infraestrutura em uma década. De acordo com os últimos dados levantados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2016 o valor total das obras realizadas no país, naquele ano, somou R$99,2

Com projeto de bioconstrução, brasileiro é finalista de prêmio global

Por ONU Meio Ambiente   As populações do Semiárido brasileiro, região que ocupa cerca de 18% do território nacional, enfrentam diversos desafios socioambientais, como ciclos de chuva escassos, solos degradados e altas temperaturas. Em conjunto com políticas públicas específicas para

Comissão de Exercício Profissional revisa normas que tratam da prática profissional

A Comissão de Exercício Profissional (CEP) do CAU/BR fará uma revisão nas quatro principais normas que regulamentam o exercício profissional de arquitetos e urbanistas em todo o Brasil. São as Resoluções CAU/BR Nº 10 (Engenharia de Segurança do Trabalho), Nº

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta