Prorrogada a exposição “Vozes dos Livros”

A exposição “Vozes dos Livros”, que acontece na Fundação Ema Klabin, em São Paulo, está com visitação prorrogada até o dia 30 de setembro de 2019.

 

Foto: Divulgação

 

Com o tema “Identidades Paulistanas: O que eu trago? O que eu Levo”, a exposição percorre diferentes narrativas de construção de São Paulo que transitam entre a literatura e as antigas livrarias da cidade, o teatro, o costume de se corresponder por cartas com os entes queridos distantes, a atuação da mulher na vida intelectual da cidade, a presença indígena e das populações negras em obras como Macunaíma, nos poemas de Jorge de Lima, em Câmara Cascudo ou em Cecília Meireles. Nos ambientes da casa museu, instalações sonoras trazem trechos dos livros lidos. Um passeio literário e sonoro através de fragmentos de identidade que foram trazidas, mantidas e outras que foram construídas, compondo a diversidade da cidade que habitamos. A programação contará também com oficinas e visitas fomentando um espaço de troca e diálogo entre a exposição e seus visitantes.

 

Exposição “Vozes dos Livros”

Local Fundação Ema Klabin | Casa-museu

Endereço Rua Portugal, 43, Jardim Europa, São Paulo

Visitação até 30 de setembro de 2019

Horário quarta a domingo, 14h à 18h, sem prévia inscrição | sábados (7/9; 14/9; 21/9; 28/9), 14h30 às 16h30, com inscrições pelo site

Valores R$10 (quarta a sexta) | entrada franca aos sábados, domingos e feriados

Mais informações (11) 3897- 3232 | Fundação Ema Klabin

 

Fonte: Fundação Ema Klabin



Artigos relacionados

Ruy Ohtake: “A população gosta muito dos meus trabalhos, mas os arquitetos, não”

Formado em 1960, Ruy Ohtake atua na prática arquitetônica há mais de cinco décadas, tendo trabalhado juntamente com outros grandes nomes da arquitetura brasileira, como Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha. Até meados da década de 1980, sua produção

SescTV disponibiliza documentário sobre Biblioteca Mário de Andrade

Episódio da série Arquiteturas sobre a Biblioteca Mário de Andrade.

Chamas na USP por José Armênio de Brito Cruz

O incêndio na FAU não é só fruto do descaso. A tentativa de destruição de um pensamento comprometido com o progresso aflora mais uma vez.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta