Telhado do Museu da Língua Portuguesa é reconstruído

Telhado do Museu da Língua Portuguesa é reconstruído

A obra de reconstrução do telhado, localizado no interior da Estação da Luz, no centro de São Paulo, foi finalizada no dia 18 de julho. O nova estrutura pesa cerca de 4 toneladas e é composta por mais de 89 mil quilos de madeira – certificada da Amazônia – e zinco, importado do Peru.

O projeto de restauro levou quase dois meses para ficar pronto. Além da reconstrução do telhado, foram concluídos o restauro da fachada e das esquadrias e as ações de conservação da ala oeste do Museu.

O edifício foi atingido por um incêndio em dezembro de 2015. Felizmente não sofreu com perdas materiais, porque todo o acervo era virtual. Contudo, segue com as portas fechadas desde o ocorrido. A previsão é de que o prédio seja reaberto no segundo semestre de 2019.

A reconstrução do museu custará em torno de R$60 milhões, parte paga pelo seguro contra incêndio, e parte captada por meio da Lei Rouanet. O espaço será mantido nos conformes, porém com pequenas alterações que visam fazer menção ao evento que destruiu parte do prédio – da mesma maneira que foi feita com o Auditório Simón Bolívar, também destruído por um incêndio.

 

Fontes: Estadão, G1

 



Artigos relacionados

Reforma no Museu do índio

As obras de reforma no Centro Cultural Ykuiapá, mais conhecido como Museu do Índio, devem ser retomadas ainda neste ano. Fechado há cerca de seis anos, o espaço passará por readequação do projeto arquitetônico e da planta. Representantes da Prefeitura

Anunciado vencedor do Festival de Ideias para a Paulista

O Festival de Ideias Paulista para Todos divulgou nesta quarta-feira, 5, o vencedor entre quatro propostas concorrentes de mobiliário urbano para a Avenida Paulista. A peça eleita pelo júri foi um banco criado pelo Königsberger Vannucchi, escritório responsável pelo retrofit

Chamas na USP por José Armênio de Brito Cruz

O incêndio na FAU não é só fruto do descaso. A tentativa de destruição de um pensamento comprometido com o progresso aflora mais uma vez.

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta