UIA2020RIO: Roberto Simon

UIA2020RIO: Roberto Simon

Com o tema Todos os Mundos. Um só mundo. Uo maior e mais importante de arquitetura, o Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos chega a sua 27ª edição. O evento, que será realizado no Rio de Janeiro, em 2020, tem foco na realidade dos centros urbanos. O objetivo é trazer as Américas do Sul, Central e Caribe e suas diferentes realidades para o centro das discussões.

Quem afirma é o arquiteto e urbanista Roberto Simon, vice-presidente da UIA para as Américas.Carioca que escolheu o Sul para morar e exercer sua atividade profissional, Simon sempre participou ativamente das associações de classe: presidiu o Departamento de Santa Catarina do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), esteve entre os primeiros conselheiros federais do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR), participou por diversas vezes do Conselho da UIA.

Confira a entrevista dele para o site do UIA2020RIO:

–  Faltam exatamente dois anos para a realização do UIA2020. Qual a melhor forma de aproveitar esses últimos dois anos de preparação para o Congresso?

“O tempo, mais e mais, parece voar em velocidade diferente do século passado. Então, independentemente de demandar muito trabalho da equipe designada e engajada na montagem desse imenso trabalho, certamente ensejará eventos intermediários que ajudem em sua construção e a manutenção da discussão viva até sua chegada em 2020”.

 

– O Congresso da UIA está voltando para as Américas depois de 27 anos e para a América Latina depois de 42 anos. Qual a importância para a região de sediar novamente um Congresso Mundial?

“A América do Sul, Central e Caribe têm estado fora do epicentro das discussões de grande alcance por longos anos, discussões reservadas normalmente aos grandes fóruns (Congressos). Esses realizados com predominância na Ásia, Europa e mesmo América do Norte acabam voltados para realidades completamente diferentes. Mesmo dentro de nosso continente é importante que haja um balanceamento nas zonas de interesse específicas. É importante destacar que essas regiões encontram-se muito prontas enquanto que na nossa ainda há muito por fazer”.

 

– Caso a UNESCO chancele, o UIA2020 será o primeiro Congresso Mundial de Arquitetos realizado numa Capital Mundial da Arquitetura. De que forma a cidade pode se beneficiar de mais esse título mundial?

“Certamente a chancela da UNESCO à cidade e ao congresso, respectivamente, elevam a cidade a outra dimensão e por maior tempo. É certo de que conexões importantes deverão ocorrer a partir dessa decisão, cito como exemplo o link que deverá ocorrer entre o Fórum Mundial Social, COP, Fórum Mundial Econômico, Docomomo, Habitat… Ou seja, diferentes áreas estarão conectadas à arquitetura, ao urbanismo e à sociedade”.

 

Fonte: UIA2020RIO



Artigos relacionados

CAU lança campanha do Dia Nacional do Arquiteto e Urbanista

O CAU comemora o Dia Nacional do Arquiteto e Urbanista 2018 com o tema “Arquitetura e Urbanismo fazem a diferença. E tornam a vida mais feliz”. A ideia é mostrar a importância do trabalho desses profissionais, visando sempre os conceitos

Conpresp aprova tombamento do Complexo do Carandiru e de prédios, piscinas e estádio da USP

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) aprovou o tombamento do Complexo do Carandiru, na Zona Norte, e de um conjunto de imóveis da Universidade de São Paulo, na Zona Oeste.

São Paulo deve ganhar roda gigante feita por arquitetos da London Eye

A proposta é que a roda gigante paulista tenha cerca de 150 metros de altura e conte com 32 cabines – cada uma com capacidade para 32 pessoas. De acordo com informações publicadas na Coluna da jornalista Mônica Bergamo, o

Sem comentários

Escreva um comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar esta postagem.

Escreva um comentário

Deixe uma resposta